Banner
Contador de Visitas
444830


Jornada Mundial da Juventude
O que são as JMJ´s?

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é celebrada anualmente nas dioceses, e a cada 2 ou 3 anos, em uma cidade escolhida pelo Papa, para a qual recorrem milhares de jovens de todos os cantos do mundo. O convite é feito pelo Santo Padre o Papa, que sempre propõe uma temática específica aos jovens para que meditem e aprofundem seu encontro com Jesus Cristo e o comprometimento com seu evangelho.
 
     
Qual o objetivo das JMJ´s?

O próprio idealizador das jmjs é quem nos diz: " o principal objetivo das jornadas é fazer a pessoa de Jesus o centro da fé e da vida de cada jovem para que ele possa ser seu ponto de referência constante e também a inspiração para cada iniciativa e compromisso para a educação das novas gerações ."(carta de João Paulo II ao Cardeal Eduardo Francisco Pironio na ocasião do seminário sobre as Jornadas Mundiais da Juventude organizado em Czestochowa, Polônia).
     

Como Surgiram as JMJ´s?

As JMJs foram gestadas por ocasião de grandes encontros do Papa João Paulo II convocou o Ano Santo da Redenção, em comemoração aos 1950 anos da morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. No final deste ano santo, a 22 de Abril ( Páscoa), como milhares de jovens do mundo recorressem às celebrações desde o Domingo de Ramos, o Papa confiou-lhes o principal símbolo do jubileu - uma grande Cruz de madeira que estava posta junto ao altar principal da Basílica de São Pedro.  

     

A cruz e o ícone mariano da JMJ´s


O Papa João Paulo II concretizou este desejo no Domingo seguinte - Páscoa da Ressurreição - dando-a aos jovens do Centro Juvenil de São Lourenço em Roma. Nesse Momento,as suas palavras foram as seguintes: "Meus queridos jovens, ao concluir este Ano Santo confio-vos o símbolo deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Levai-a pelo mundo a fora como um símbolo do Amor de Cristo pela humanidade, e anunciai a todos que só na morte e ressurreição de Cristo é que podemos encontrar salvação e redenção" (Roma, 22 de Abril de 1984). O pedido do Papa  foi cumprido! De Roma, a Cruz seguiu para Alemanha, França e a pedido do Papa, cruzou cruzou o muro de Berlim e foi a Praga (Checoslováquia) Em 1985 retornou a Roma para a celebração do Domingo de Ramos. Durante este Ano, diversos encontros de jovens na Europa tiveram a Cruz Peregrina como símbolo. Em Dezembro de 1985, com o anúncio da Primavera Jornada Mundial da Juventude para 1986, a Cruz passou a acompanhar estes eventos e tornou-se seu principal símbolo.

O Ícone da Nossa Senhora foi dado de presente aos jovens pelo mesmo Santo Padre, o Bem-Aventurado João Paulo II, em 2003, durante a jornada Mundial da Juventude, com as seguintes palavras: " Hoje eu confio a vocês... o Ícone de Maria. De agora em diante, ele vai acompanhar as Jornadas Mundiais da Juventude, junto com a cruz. Contemplem a sua Mãe! Ele será um sinal da presença materna de Maria próxima aos jovens que são chamados, como o Apóstolo João, a acolhê-la em suas vidas". Desde então, o Ícone - uma cópia fiel de um antiguíssimo Ícone encontrado na Basílica de Santa Maria Maior - tem acompanhado a Cruz em suas peregrinações.  

 
Local Ano Participação
Na Vígilia de 
Encerramento
Roma - Itália  1986 300 mil
Buenos Aires - Argentina 1987 1 milhão
Santiago de Compostela - Espanha 1989 400 mil
Czestochowa - Polônia 1991 1 milhão e 600 mil
Denver - Estados Unidos  1993 500 mil
Manília Filipinas  1995 5 milhões
Paris - França 1997 1 milhão e 200 mil
Roma - Itáila  2000 2 milhões
Toronto - Canadá 2002 800 mil
Colônia - Alemanha 2005 1 milhão e 200 mil
Sidney - Austrália 2008 400 mil
Madrid - Espanha 2011 2 milhões
 
     
Como são as atividades de uma JMU?

As JMUs reunem jovens de diversas dioceses do mundo, em um determinado país, para cerca de duas semanas e atividades. na primeira semana, ocorrem os " Dias nas Dioceses", ou  "Pré-Jornadas" ou "Semana Missionária", que reúnem os Jovens peregrinos nas diversas dioceses do país que acolhe a JMJ. Na Segunda semana, concentram-se todos os jovens na cidade sede do evento para momentos celebrativos, catequeses, Eucaristia, Via-Sacra, atividades culturais, vigilias e encontros com o Santo Padre, o Papa. Podemos certamente afirmar que a JMJ é o momento máximo de "Cenáculo" da Juventude católica mundial. Reunimo-nos como Igreja jovem ao redor de Jesus Cristo Ressucitado, não como uma massa disforme e passiva, mas como grupos organizado sem suas diversas Igrejas Locais. É o rosto jovem da Igreja de Jesus Cristo reunida nele em multidão. por esse motivo, a JMJ não é um evento fechado em si, e nem se espera apenas dela a solução plena para evangelização da juventude de um país ou diocese. Ela se Insere num processo mais amplo de evangelização, que inclui a organização dos grupos nas diversas comunidades e o acompanhamento constante da juvenrtude, a fim de que descubra em Jesus Cristo o Caminho a Verdade e a Vida, com a ajuda da JMJ, mas também com os diversos encontros e atividades que acontecem constantemente nas bases, antes e depois da realização da mesma. A JMJ  se insere no contexto destas atividades permanentes. 
 
     

O que são e quais os objetivos da Pré Jornada? 

O programa dos "Dias na Diocese" ou "Pré-Jornada" começou em 1997 por ocasião da JMJ de Paris. A Igreja, na França, promoveu estes encontros como um modo de facilitar a evangelização dos jovens das dioceses francesas, conseguir que a França inteira acolhesse os peregrinos vindos de outros países e motivasse os jovens franceses a participarem da JMJ. São marcados por eventos organizados pelas dioceses anfitriãs, possibilitando encontro cultural, turístico, solidário e religioso entre as diversas juventudes do mundo. três são os objetivos básicos:

1. 

 

Como Experiência de fé: propiciar aos jovens do mundo momentos de oração e meditação aprofundando seu encontro pessoal com Jesus Cristo e sua proposta de amor.

2.

 

 

Como Experiência cultural: oportunizar aos jovens de diversas nacionalidades e culturas, ambiente de partílha e conhecimento da diversidade culturaldos povos. É também uma ótima oportunidade para a divulgação das riquezas da cultura localpara pessoas de diversos países do mundo, possibilitando interesse em novas visitas para atividades turísticas.
3.

 
Come experiência de solidariedade: envolver a juventude local e os peregrinos em diversas campanhas e projetos de solidariedade, no intuito de ajudar os jovens, a se envolverem cada vez mais na edificação da Civilização do Amor.
 
   
Veja mais em: www.regiaose.org.br/jmj  
Fonte: Síntese do material apresentado ao Clero da região Sé por Nei Marcio do setor juventude da Arquidiocese de São Paulo.  

 

 
<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>

Página 2 de 2