Banner
Contador de Visitas
390861


UMA PARÓQUIA ESTA SEMPRE EM CONSTRUÇÃO

 

O olhar de esperança existe quando cremos que estamos construindo um mundo melhor do que aquele que deixamos para trás, pois enquanto semeamos esperança estamos construindo o Reino. 

Partilho com você, paroquiano, algumas percepções: em fevereiro deste ano, completei seis anos de pároco aqui na Santo Inácio e, em junho, recebi a renovação por mais uma etapa de três anos. 

Recordo que quando aqui cheguei, por incrível que pareça, era a primeira vez que entrava neste templo. Sabia da existência da paróquia, mas não tinha a menor noção da sua realidade. 

Analisando o caminho percorrido, senti que, pelo menos nos primeiros quatro anos, o tempo de permanência na paróquia era pouco, devido a outros compromissos assumidos paralelamente.  Foi um período de pequenas ações, ajustes e muita observação. Aos poucos fui tomando consciência de que estava diante de um universo diferente daquele vivido até então. Houve uma confrontação de dois universos: o da periferia e o urbano. 

Na mensagem dirigida aos religiosos e religiosas por ocasião do Ano da Vida Consagrada, o Papa Francisco disse: “Olhar o futuro com esperança” (NMI1). 

Neste novo cenário uma das primeiras sensações: tínhamos cinco missas nos finais de semana e cada missa tinha o seu público. A paróquia, embora não tivesse comunidades, convivia com praticamente cinco comunidades distintas dentro de uma mesma paróquia. As pessoas pouco se conheciam. 

Constatei ainda que era uma paróquia com forte sentido Sacramental e pouco Pastoral. As ações eram voltadas mais para dentro do que para fora. Recordo as primeiras missas do padroeiro Santo Inácio, geralmente aos sábados. Poucas pessoas participavam se compararmos com as celebrações do padroeiro hoje. 

Algumas lideranças estavam havia muito tempo no mesmo lugar. Cada pastoral ou serviço caminhava sozinho. A integração entre as pastorais era muito difícil. Hoje, sinto a paróquia mais integrada não apenas entre as pastorais, como também com as outras paróquias do Setor. 

Passados todos esses anos, constato que alguns sinais de esperança foram sendo semeados: na Comunicação, por meio da Pascom, foram criados o boletim e o site. Renovada, a Catequese atraiu mais crianças. Estamos desenvolvendo um bom trabalho. Ainda podemos fazer mais. 

Foram renovados também o serviço às Casas de Repouso e o atendimento aos Enfermos. Novos Ministros Extraordinários da Eucaristia se juntaram a nós. A liturgia tem melhor coordenação. Nasceu a Pastoral da Música. Com a juventude, terminou o Grupo Siloé e estamos buscando construir um novo grupo, o Tabor. O Bazar encontrou forma mais eficaz de trabalhar. Foram introduzidos vários serviços na paróquia, procurando dar utilidade aos espaços livres. O ECC está buscando novas formas de estruturação. 

Olhando, sem paixão, de 2009 até hoje, vejo que mais luzes se acenderam. Convido a todos os paroquianos para prosseguirmos nesta caminhada. Uma paróquia está sempre em construção. Necessitamos nos unir ainda mais, trabalharmos para construirmos uma paróquia mais Pastoral. 

Uma paróquia somente tem sentido enquanto testemunha o Evangelho. Também precisamos trabalhar com alegria nas ações da Igreja. Não faltam desafios, principalmente no campo Pastoral. Um deles é tornar nossos espaços ainda mais aproveitáveis. Agora a meta é a construção do Estacionamento, um projeto ousado, com olhares para o futuro. 

Pe. Mário Pizetta, ssp (pároco)